O Papa: a partilha abre caminhos de liberdade, renascimento e dignidade

Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -

Mariangela Jaguraba - Vatican News

O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta quinta-feira (02/09), no Vaticano, os membros da Fundação “Arché”, nascida em Milão, na Itália, em 1991, por iniciativa do pe. Giuseppe Bettoni, para responder à emergência do HIV pediátrico.

Hoje, o organismo responde a novas situações de sofrimento em que crianças e famílias são protagonistas. A missão de Arché é cuidar do núcleo "mãe e filho" com dificuldade social e fragilidade pessoal, com o objetivo de o acompanhar na construção da autonomia social, habitacional e de trabalho.

No princípio existe o Amor, o amor de Deus

Depois de agradecer ao pe. Bettoni por sua apresentação e seu trabalho ao longo desses trinta anos, quando iniciou a acolher mães e filhos, o Papa recordou que o nome 'Arché' lembra a origem, o princípio, "e sabemos que no princípio existe o Amor, o amor de Deus. Tudo que é vida, tudo que é belo, bom e verdadeiro vem dali, de Deus que é amor, assim como a vida humana vem do coração e do ventre de uma mãe, e assim como Jesus, que é Amor feito carne, veio do coração e do ventre de uma Mãe".

E assim, nesta lógica, no início existem os rostos: para vocês, são os rostos das mães e das crianças que vocês acolheram e ajudaram a se libertar dos laços da violência e maus-tratos, e também as mulheres migrantes que carregam experiências dramáticas em sua carne.

Um sinal de esperança para as mulheres e seus filhos

"As suas comunidades acolhedoras são um sinal de esperança para essas mulheres e seus filhos, mas também são um sinal de esperança para vocês que partilham suas vidas com eles, para os voluntários, os jovens, os jovens casais que nestas comunidades fazem experiência do serviço não só para os pobres, mas com os pobres", disse ainda Francisco.

A Mãe com o Filho é um ícone familiar para nós cristãos. Para vocês não ficou apenas um quadro, mas vocês o traduziram numa experiência concreta, formada de histórias e rostos concretos. Isso certamente significa problemas, dificuldades e fadigas, mas também significa alegria, a alegria de ver que a partilha abre caminhos de liberdade, renascimento e dignidade.

A seguir, o Papa recordou que no próximo sábado (04/09), a Fundação “Arché” abrirá uma casa, em Roma, que acolherá uma nova comunidade. "Que seja um lugar onde se vive o estilo de Deus, que é proximidade, ternura e compaixão. Que a estrutura esteja a serviço das pessoas", concluiu.

 
Indique a um amigo